201603.04

Ainda que o surfe nos faça lembrar mais das praias e campeonatos americanos logo de cara, esse é um esporte no qual o Brasil se dá muito bem. Temos grandes representantes como Danilo Couto, Mineirinho (quem disse que Minas não dá praia?) e Gabriel Medina, que causam arrepios nos melhores do mundo quando se apresentam nas competições. E com certeza, ainda veremos outros nomes brasucas surgindo pelas ondas do mundo!

Mas isso aconteceria naturalmente. Ainda que o surfe não seja um esporte genuinamente brasileiro, um país com tantos milhares de quilômetros de costa não poderia render outros frutos senão esses, não é? Em qualquer praia que visitemos, sempre haverá ao menos uma prancha cortando as águas. São raras as praias sem ondas por aqui, o que torna o cardápio dos surfistas bem amplo! Algumas cidades litorâneas aproveitaram dessa vibe, investiram na cultura da prática do surfe e se tornaram points de referência. Maresias, por exemplo, tem campeonatos regularmente, e é procurada até por surfistas internacionais.

Opcionais de fábrica?

SurfeNa verdade, Maresias tem tantos atrativos que acabou se tornando um point para vários tipos de pessoas, não só pelos surfistas. A cidade tem uma vida social bastante agitada, pontilhada de boates, bares e economia bastante ativa o ano todo, e não só na época das competições mais importantes. Isso a deixa muito atraente inclusive para a abertura de novos negócios por ali. Apesar de ser tão procurada, ela não tem o concreto das grandes cidades, tendo uma pegada mais tranquila, com menos prédios e menos trânsito.

E já que estamos falando de praias e surfe, como não pensar na joia Rio de Janeiro, não é? A cidade maravilhosa agitadíssima, com uma das economias mais movimentadas do país, infinitas opções de lazer e uma extensão litorânea para ninguém – mas ninguém MESMO botar defeito. Assim como Maresias, ela também recebe regularmente campeonatos importantes de surfe, e é celeiro de grandes talentos natos do esporte. Além do surfe, encontramos muitos adeptos de outros esportes aquáticos como windsurf, bodyboard e vela.

Está chegando agora?

SurfeSe você está iniciando no surfe e está feito um louco procurando points para treinar – ou mesmo competir – aqui na internet, está começando bem, mas fique atento a alguns detalhes antes de se decidir por um lugar ou outro.

Custos: cada cidade tem um custo de vida próprio, que não necessariamente vai ser igual ao da cidade onde você mora. Muitas coisas causam essa variação, como pertencer a um circuito turístico ou não, ter atrativos comerciais, uma grande universidade federal ou grandes indústrias… Cidades com ocorrências assim costumam ser muito procuradas e, por isso, têm custo de vida mais alto. Isso se reflete no custo dos serviços como hospedagem e alimentação. Procure informações precisas sobre esses tipos de custo na cidade onde quer ir e veja se as cifras cabem no seu orçamento.

Segurança: infelizmente, muitas cidades com competições têm um problema sério de segurança pública. No local do evento ela é reforçada, mas fora dele você pode passar por algum momento desagradável. Se informe sobre a cidade em si, sobre a segurança no local do evento e se haverá opções de hospedagem próximas a ele (se houver, perfeito). Vale a pena pesquisar por restaurantes próximos também, especialmente se a cidade da competição estiver passando por crises de segurança.

Saúde: verifique se seu plano de saúde oferece cobertura na cidade onde está indo praticar ou competir. Os tombos no surfe podem causar problemas que um curativo adesivo não vai conseguir solucionar, então é bom ficar atento a isso; assim, caso seja necessário (mas esperamos que não), você não fica desassistido(a).

No mais: boa onda!